sexta-feira, 24 de maio de 2019

QI 156

Está circulando o número 156 do fanzine Quadrinhos Independentes-QI editado por Edgard Guimarães, dedicado ao estudo dos quadrinhos, destacando a produção independente e os fanzines brasileiros.
A edição tem 32 páginas e os artigos "Abril e o centenário do nascimento de E. T. Coelho", por Pedro Moura, "Lilliput", de E. Figueiredo, com impressões de um jovem leitor sobre o clássico As viagens de Gulliver, de Jonathan Swift, "Quartetos Melhoramentos", de Lio Guerra Bocorny, sobre antigos jogos de cartas dessa editora; e o artig-resposta "Quartetos pioramentos", do editor, sobre os jogos de cartas que ele mesmo fazia quando criança. Quadrinhos de Luiz Cláudio Lopes de Faria, Henrique Magalhães, Julie Albuquerque e do editor, as colunas "Fórum" com as cartas dos leitores, "Mantendo contato" de Worney Almeida de Souza – com a terceira parte do artigo sobre A Gazetinha e A Garra Cinzenta, "Edições independentes" divulgando os lançamentos de fanzines do bimestre, e uma bela ilustração de Lancelot Martins completam a edição. A capa traz um desenho do próprio editor.
Junto desta edição, os assinantes recebem o segundo fascículo da série Voos n'O Tico-Tico, dedicado ao trabalho de Oswaldo Storni, importante ilustrador brasileiro da primeira metade do século 20. A publicação tem 12 páginas e o texto é de autoria de Francisco Dourado.
Exemplares impressos do QI e seus encartes podem ser obtidos mediante assinatura. Mais informações diretamente com o editor pelo email edgard.faria.guimaraes@gmail.com. Mas suas versões digitais são disponibilizados pelo saite da editora Marca de Fantasia, aqui. Muitas das edições anteriores também podem ser encontradas, mas Guimarães anunciou que pretende disponibilizar nesse link, aos poucos, todas as edições do fanzine e seus encartes, desde o número zero. Por hora, estão disponíveis a partir do número 122.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Bang! detonando

Desde 2015, aqui, que o Hiperespaço não anunciava o lançamento de uma nova edição da revista Bang!, excelente publicação portuguesa especializada em ficção fantástica editada pela editora Saída de Emergência, que teve uma breve existência brasileira há alguns anos, precocemente interrompida pela crise editorial que ainda assola o país. Mas a carreira lusitana segue firme e forte, tanto que estão disponíveis nada menos que sete novas edições, da 19 à 25.
Trata-se da melhor publicação sobre literatura fantástica em língua portuguesa e sua disponibilidade digital vem cobrir um enorme lapso no fandom brasileiro. Ainda que os títulos comentados sejam basicamente aqueles publicados em Portugal, muitos deles tiveram edição brasileira: as informações continuam muito relevantes, portanto. Por exemplo, a edição mais recente disponível – nº 25,  publicado em outubro de 2018 – tem a capa dedicada a Sangue e fogo, novo livro de George R. R. Martin.
Os arquivos, em formato pdf, podem ser baixados gratuitamente aqui, assim como de todas as anteriores. Aproveite e marque o link nos favoritos para não perder o número 26, que foi publicado recentemente em Portugal.

Conexão Literatura 47

Está circulando o número 47 da revista eletrônica Conexão Literatura, editada por Ademir Pascale.
A edição tem 66 páginas e traz contos de Cecília Torres Nogueira, Roberto Schima, Míriam Santiago, Gilmar Duarte Rocha e João Gomes Moreira, sendo que este último também cedeu uma entrevista. Poema de Rafael Botter, crônica de Roberto Leon Ponczek, resenha por Eudes Cruz, artigo de Marcos Pereira dos Santos e Jaime Xavier, divulgações de livros completam a edição.
Conexão Literatura é uma publicação gratuita e pode ser baixada aqui. Edições anteriores também estão disponíveis.

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Primeira Escotilha

Chegou há alguns dias a primeira caixa preta da Escotilha, clube de leitura de ficção fantástica da editora Novo Século.
Esta entrega trouxe os livros Histórias de horror e mistério, de Arthur Conan Doyle, em edição de luxo em capa dura, e O castelo de Otranto, de Horace Walpole, em uma simpática edição de bolso. Acompanham dois marcadores, um opúsculo com o fragmento de um diário de viagem aterrador e um fascículo informativo sobre os livros enviados, seus autores e o gênero do horror, com textos de Oscar Nestarez e Duda Menezes.
Para mais informações sobre a Escotilha, visite o saite, aqui.

As melhores histórias brasileiras de horror em entrevista

Há alguns dias, fui procurado por Bruno Flores, editor do blogue Literatura das Sombras, para uma rápida entrevista sobre a antologia As melhores histórias brasileiras de horror que organizei ao lado de Marcello Simão Branco para a Devir Livraria. E é rápida mesmo, apensa três perguntinhas, que dão conta do processo de seleção das histórias e dos trâmites até sua publicação no final de 2018.
Agradeço ao Bruno a oportunidade de falar sobre esse importante compêndio do horror nacional, um projeto antigo e muito acalentado, enfim viabilizado pelo idealismo do saudoso editor Douglas Quinta Reis, a quem nunca serie suficientemente grato.
A entrevista pode ser lida aqui.

Velta: Contos da Super Detetive 1

Velta retorna a suas origem com o novo título Contos da Super Detetive, publicação trimestral com 18 páginas em preto e branco e capa em cores, disponível em formato impresso.
Depois de encerrado o arco de histórias da personagem, o autor e editor Emir Ribeiro retoma a publicação das histórias da Velta desde a início, com nova arte, textos revisados, além de artigos e contos. O objetivo é republicar tudo, em sua sequência cronológica correta, de forma a apresentar a personagem criada em 1972 para uma nova geração de leitores.
Para compra e informações, mande email para o autor em emir.ribeiro@gmail.com ou visite seu site, aqui.

Múltiplo 31

Está disponível a edição 31 do fanzine virtual de quadrinhos Múltiplo, editado por André Carim.
Lançada em maio, a publicação tem 72 páginas e comemora 26º aniversário de publicação do seu primeiro número, no longínquo ano de 1993.
Traz as hqs "O mestre dos combates", de Jadir Valle, artista que é entrevistado na edição, "Nós gatos somos noturnos", de Elinaudo Barbosa, "Cripta", de Lincoln Nery e César Barbosa, "Odin: O crepúsculo dos deuses" de Luiz Iorio, e "Vácuo", de Gian Danton e Antônio Lima. Tiras de Omar Viñole, ilustrações de Kléber Kleber Lira/Fito Cordeiro, Célio Cardoso e Moacir Muniz - que também assina a capa - completam a edição.
A edição pode ser lida online ou baixada gratuitamente aqui, e edições anteriores também estão disponíveis.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Vencedores do prêmio LeBlanc 2019

No dia 9 de maio aconteceu a entrega da segunda edição do Prêmio Le Blanc para os melhores trabalhos de 2018 nas categorias literatura fantástica, quadrinhos, animação e jogos. A entrega aconteceu durante a Semana Internacional de Quadrinhos (SIQ) na Escola de Comunicação da UFRJ. Eis os vencedores:

Romance nacional: 
Vencedor: Auto da maga Josefa, Paola Lima Siviero, Editora Dame Blanche.
Finalistas: Araruama: O livro das raízes, Ian Fraser (Moinhos); Vera Cruz: sonhos e pesadelos, Gabriel Billy (Avec).
Antologia nacional: 
Vencedor: Fractais tropicais, Nelson de Oliveira, org., Sesi-SP Editora.
Finalistas: Aqui quem fala é da Terra, André Caniato e Jana Bianchi, orgs. (Plutão); Narrativas do medo II,  Vitor Abdal, org. (CopaBooks).
Romance traduzido:
Vencedor: Despertar, Octavia Butler, Editora Morro Branco.
Finalistas: Fogo e sangue, George R. R. Martin (Suma); Hex, Thomas Olde Hevelt (DarkSide); Outsider, Stephen King (Suma).
Antologia traduzida: 
Vencedor: Crônicas de espada e feitiçaria, Gardner Dozois, Editora LeYa Brasil.
Finalistas: Conan, o Bárbaro, livro 2, Robert E. Howard (Pipoca & Nanquim); Edgar Allan Poe Vol. 2 (DarkSide); Sonhos elétricos, Philip K. Dick (Aleph).
Quadrinho independente nacional:
Vencedor: The guardian: Em busca da luz, Gustavo Piacentin. 
Finalistas: Lama, Rodrigo Ramos e Marcel Bartholo. Rio Negro 2, Ikarow Waxwings.
Quadrinho nacional: 
Vencedor: Bartolomeu, Victor Moura, Editora Caligari.
Finalistas: Delirium tremens, Raphael Fernandes (Draco); Justiça sideral: Recomeços, Deyvison Manes e Netho Diaz (Avec).
Quadrinho traduzido:
Vencedor: Mort Cinder, Alberto Breccia, Editora Figura.
Finalistas: Paraíso perdido, John Milton e Pablo Auladell (DarkSide); Um pedaço de madeira e aço, Christophe Chabouté (Pipoca & Nanquim)
Série de tiras nacional: 
Vencedor: Mar menino, Paulo Moreira.
Finalistas: Pocketscomics, Renato Lima; Tê Rex: Spoilerfobia, Marcel Ibaldo; Um sábado qualquer, Carlos Ruas.
Animação nacional:
Vencedor: Superdrags, Combo Estúdio.
Finalistas: Biduzidos (Copa Studio/Mauricio de Sousa Produções); Irmão do Jorel (Copa Studio/Cartoon Network Brasil)
Animação longa: 
Vencedor: Tito e os pássaros, Gustavo Steinberg, Gabriel Bitar & Andre Catoto Dias. (unanimidade)
Animação nacional curta:
Vencedor: Gravidade, Amir Admoni.
Finalistas: Lé com Cré, Cassandra Reis; Por um som orgânico, Fábio Purper Machado; O homem na caixa, direção Ale Borges, Alvaro Furloni e Guilherme Gehr; Trip & Treasure, Estúdio Escola de Animação/Baluarte Cultura e Copa Studio.
Animação publicitária: 
Vencedor: "A queda", Zombie Studio/Hospital do Amor.
Finalistas: "Aquarela", DAVID São Paulo/Faber Castell; "Defenda-se", Centro Marista de Defesa da Infância; "Deus salve o rei", Direção Alexandre Romano, Flavio Mac/Rede Globo; "Você faz acontecer", Zombie Studio/Bradesco.
Jogo nacional mobile:
Vencedor: Dandara, Raw Fury.
Finalistas: Let’s zeppelin, Gazeus Games; Until dead think to surviv, Monomyto Game Studio.
Jogo nacional console:
Vencedor: Sword Legacy: Omen, Firecast Studio; Fableware: Narrative Design.
Finalistas: Akane, Ludic Studios; Dandara, Raw Fury.

O Prêmio Le Blanc é uma promoção da Escola de Comunicação da Universidade Federal do
Rio de Janeiro (ECO/UFRJ) e da Universidade Veiga de Almeida (UVA).
Parabéns aos vencedores!

Juvenatrix 200

Está circulando a histórica edição número 200 do fanzine eletrônico de horror e ficção científica Juvenatrix editado por Renato Rosatti.
Desta vez o editor não preparou nada especial para marcar tal efeméride e este número traz em 21 páginas contos e poemas de Caio Alexandre Bezarias, João Augusto, Miguel Carqueija e Allan Fear, quadrinhos de Allan Fear, resenhas aos filmes O abominável Dr. Phibes (1971), A câmara de horrores do abominável Dr. Phibes (1972) e A noite do demônio (1957), além de divulgação e curiosidades sobre fanzines, livros, filmes e bandas independentes de rock extremo. A capa traz uma ilustração de Mário Labate.
Para solicitar sua cópia em formato PDF, envie um email para: renatorosatti@yahoo.com.br.

sábado, 27 de abril de 2019

Para ler... Sailor Moon

O escritor e otaku Miguel Carqueija, que tem disponibilizado pela internet diversos guias de episódios de animes e mangás, acaba de lançar mais um, desta vez sobre a clássica série Sailor Moon, um grupo de garotas lutadoras criadas por Naoko Takeushi no início dos anos 1990, que se tornou um dos maiores sucessos dos quadrinhos japoneses.
A personagem ficou conhecida no Brasil através da série de desenhos animados exibidos na tv, mas este guia se refere ao mangá original, publicado no Brasil entre pela editora Abril entre 1996 e 1997, e republicado pela JBC entre 2014 e 2015. A resenha se referencia na série mais recente, apresentada em 16 volumes (12 da Sailor Moon, 2 de Sailor Vênus e 2 com extras), todos resenhados por Carqueija.
O guia, em formato de texto, pode ser baixado gratuitamente aqui.

Doce fantasia

Para mim foi uma surpresa, ao abrir um prosaico pacote de waffer coberto de chocolate, encontrar os confeitos embalados com lindos desenhos fantásticos. Só então percebi que se trata de uma campanha promocional que tem tudo para se tornar uma nova e interessante mídia para os ilustradores brasileiros.
Trata-se do Hershey's Mais, produto fabricado em São Roque, no interior do estado de São Paulo, que lançou em 2019 uma coleção de quatro sabores personalizados, cada qual dedicado a um tema e ilustrado por um artista do estúdio Chiaroscuro. O sabor amendoim traz desenhos de Lucas Werneck com o tema super-heróis; o ao leite tem desenhos de Zé Carlos no tema aventureiros, o triplo chocolate traz Cris Bolson e o apocalipse zumbi, e o cookies'n'creme tem desenhos de Danilo Beiruth no tema alta fantasia. Cada tema tem seis estampas diferentes que podem ser montadas em uma única imagem, como um quebra-cabeças. Como os embalagem vêm com muitos confeitos embalados individualmente, dá para montar até dois conjuntos completos em cada pacote.
Sem dúvida, é uma bela ideia.

Múltiplo 30

Está disponível a edição 30 do fanzine virtual de quadrinhos Múltiplo, editado por André Carim.
Lançada em abril, a publicação tem 56 páginas e traz as hqs "Surge Meia-Lua", de Laudo Ferreira Jr.; "Início: O Catalogador de Universos", de Lancelott Martins, Renan Ishin e Adriano Felix; "Lily e Aline", de Célio Cardoso e Tony Brandão; e "O misterioso imortal: A fuga", de Luiz Iório. Completam a edição pinups de Luiz Iório; May Santos; Laudo Ferreira Jr. e Nei Rodrigues; e Clodoaldo Cruz e Stella. A capa tem uma ilustração de May Santos.
A edição pode ser lida online ou baixada gratuitamente aqui, e edições anteriores também estão disponíveis.

domingo, 7 de abril de 2019

QI 155

Está circulando o número 155 do fanzine Quadrinhos Independentes-QI editado por Edgard Guimarães, dedicado ao estudo dos quadrinhos, destacando a produção independente e os fanzines brasileiros.
A edição tem 24 páginas e traz os artigos "Marechais", de Lio Guerra Bocorny; "O livro desaparecido", de E. Figueiredo; e "Transleixion", de Guimarães; quadrinhos de Julie Albuquerque, Luiz Cláudio Lopes de Faria e do editor, as colunas "Fórum" com as cartas dos leitores, "Mantendo contato" de Worney Almeida de Souza - sobre A Gazetinha e Garra Cinzenta, e "Edições independentes" divulgando os lançamentos de fanzines do bimestre. Uma ilustração de Lancelot Martins completa a edição. A capa traz um desenho do próprio editor.
Junto desta edição, os assinantes recebem História em quadrinhos: Arte com muita oficina, publicação com 32 páginas com um artigo do quadrinhista português José Ruy sobre técnicas de arte final e a colorização nos quadrinhos apoiado no trabalho de mestres da arte como Milton Caniff, Harold Foster e outros.
Este á o primeiro número do ciclo de assinaturas de 2019 que implementa mudanças na circulação do fanzine impresso. Para maiores informações sobre essas mudanças, entre em contato com o editor pelo email edgard.faria.guimaraes@gmail.com. Mas as versões digitais continuam a ser disponibilizados pelo saite da editora Marca de Fantasia, aqui. Edições anteriores também podem ser encontradas.

Jogos de guerra

O escritor carioca J. M. Beraldo, autor dos romances O véu da verdade (2005), Taikodom: Despertar (2008) e Império de diamante (2015), tem um novo romance na praça. Trata-se de Jogos de guerra, ficção científica space opera que se passa no mesmo universo do já citado Véu da verdade.
Diz o texto de divulgação: "Guerrilheiros armados com tecnologia alienígena ultra avançada usam uma revolta popular para atacar a cidade corporativa de Kinshasa, acendendo um barril de pólvora que pode imergir a África em um conflito sem precedentes. Sabendo dos riscos para seus aliados, o governo do Brasil e a Aliança do Sul decidem enviar uma força expedicionária multinacional para conter o problema. É formado um esquadrão de pilotos latinos e africanos sob o comando do Major Ferreira, herói da Batalha da Amazônia, sobrevivente, pai. Ferreira precisará lidar com os conflitos entre seus novos pilotos e seu próprio trauma de guerra enquanto tenta desvendar quem está armando aos guerrilheiros antes que a União Europeia resolva intervir com força extrema".
O livro está disponível em formato ebook aqui, mas pode ser encomendado em formato impresso diretamente com o autor, aqui.

sábado, 30 de março de 2019

Renato Canini (1936-2013)

Um dos mais queridos cartunistas brasileiros, Renato Vinícius Canini nasceu em 22 de fevereiro de 1936, na cidade de Paraí, no Rio Grande do Sul. Desde jovem, interessou-se pela arte do traço e, aos 21 anos, já trabalhava como ilustrador na revista infantil Cacique, publicada pela Secretaria de Educação e Cultura do Estado. Ainda nos anos 1960, participou ativamente da lendária CETPA - Cooperativa Editora de Trabalho de Porto Alegre, iniciativa que tinha como meta a nacionalização do quadrinho brasileiro e contou com o apoio do então Governador Leonel Brizola. Com roteiros de José Geraldo Barreto, Canini desenhava Zé Candango, um cangaceiro que lutava contras os super heróis estrangeiros.
Canini mudou-se para São Paulo em 1967, para trabalhar na revista infantil Bem-Te-Vi, publicada pela Igreja Metodista. Dois anos depois foi contratado pelo estúdio de quadrinhos da Editora Abril, para ilustrar a revista Recreio.
Logo passou a trabalhar com Zé Carioca, personagem popular criado em 1942 por Walt Disney. Aproveitando-se do controle frouxo que a Disney então mantinha sobre os quadrinhos de sua franquia feitos no País, Canini incorporou diversos aspectos da Cidade Maravilhosa às histórias, bem como trejeitos brasileiros ao personagem. Foram cerca de 135 histórias, produzidas entre 1971 e 1977, amplamente apreciadas pelos leitores brasileiros. Mas esse grande sucesso acabou atraindo a atenção da matriz americana, que desaprovou o trabalho, considerando-o demasiado distante do seu padrão original. Por muito tempo, o trabalho de Canini em Zé Carioca ficou proibido de ser republicado, situação que só mudou em 2005, quando a própria Editora Abril homenageou o artista com um volume da coleção Mestres Disney, equiparando-o assim aos ilustradores Don Rosa, Cavazzano, Gottfredson e Romano Scarpa, vistos nos outros volumes dessa coleção.
Em 1974, Canini criou para a revista Crás a sátira de faroeste "Koka Kid", rebatizada depois pelo editor como Kactus Kid. Inspirado na fisionomia de Kirk Douglas, Kactus Kid era um agente funerário que, quando necessário, transforma-se num pistoleiro elegante e boa-pinta, não sem alguma dificuldade, uma vez que tinha que passar pela picada dolorosa de uma agulha para fazer o indefectível furinho no queixo.
Outra criação importante de Canini é o psicólogo Dr. Fraud que, nos anos 1970, chegou a aparecer em várias edições da revista Patota, da Editora Artenova, e publicado em álbum em 1991 pela editora Sagra-DC Luzatto, sempre envolvido com problemas psicológicos dos mais famosos personagens dos quadrinhos.
Em 1978, criou o indiozinho Tibica para participar de projeto de tiras da Editora Abril, que não foi adiante. O personagem seria enfim publicado em 2010 no álbum Tibica: O defensor da ecologia, pela Editora Formato.
Canini também teve trabalhos publicados nos jornais Correio do Povo, Diário de Notícias, O Pasquim e nas revistas Mad e Pancada, entre outras publicações.
Também são seus os livros infantis Cadê a graça que tava aqui? (1983, Mercado Aberto), Um redondo pode ser quadrado? (2007, Formato) e O cigarro e o formigo (2010, Formato). Em 2012, publicou seu último trabalho, o álbum Pago pra ver (IEL/CORAG), reunindo 250 ilustrações sobre o Rio Grande do Sul e os pampas, realizadas ao longo dos últimos trinta anos.
Casado com a também desenhista Maria de Lourdes, Canini sofreu um mal súbito decorrente de um problema cardíaco e veio a falecer no dia 30 de outubro de 2013, aos 77 anos, sendo sepultado no Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula, em Pelotas, onde morava.
Entre as muitas homenagens que recebeu ainda em vida, Canini foi agraciado em 2003 com o título de "Grande Mestre" pelo Prêmio HQMix.

Conexão Literatura 46

Está circulando o número 46 da revista eletrônica Conexão Literatura, editada por Ademir Pascale.
A edição tem 83 páginas e traz contos de Gerson Avillez, Roberto Schima e Mírian Santiago, entrevista os escritores Solange Pansieri (Os segredos de Antônia) e Letrícia Mariana (Entre barbantes). Artigo de Marcos Pereira dos Santos e Willian Wolmar Ferreira, poema de Roberto Schima, resenha de Rafael Botter e divulgações de livros completam a edição.
Conexão Literatura é uma publicação gratuita e pode ser baixada aqui. Edições anteriores também estão disponíveis.

Prêmio Le Blanc 2019

Está rolando a votação da segunda edição do Prêmio Le Blanc, promovido pela Universidade Veiga de Almeida em associação com a Escola de Comunicação da UFRJ.
A ação pretende apontar os melhores trabalhos de 2018 nas categorias Literatura Fantástica, Animação, Histórias em Quadrinhos e Games.
A primeira fase da apuração acontece através de uma votação popular pela  internet. Para participar basta clicar na categoria e informar o nome e o email. Não há lista de indicados, a votação é livre e sem qualquer restrição. As únicas regras são: só valem obras publicadas em 2018 e será contabilizado apenas um voto por email em cada categoria.
Os votos serão recolhidos até o dia 14 de abril e os nomes mais votados serão analisados por uma comissão que determinará os vencedores.
O resultado será divulgado no dia 9 de maio de 2019 durante a Semana Internacional de Quadrinhos-SIQ que acontece de 7 a 10 maio na cidade do Rio de Janeiro.

Múltiplo 28 e 29

Estão disponíveis as edições 28 e 29 do fanzine virtual de quadrinhos Múltiplo, editado por André Carim.
A edição 28 foi lançada em fevereiro, tem 60 páginas e traz as hqs "O preço dos heróis", de Rafael Tavares, Óqui, Célio Cardoso e Adriana Sapão; "Indestrutíveis", de  Guido Van Pie e Marcos Gratão; "Chapeuzinho", de Oscar Suyama e Cássia Alves; e "Relâmpago Negro", de Edvaldo Cardozo; além de um artigo de Gabriel Rocha. A capa tem uma ilustração de Óqui com cores de Célio Cardoso.
A edição 29 saiu em março, tem 80 páginas e destaca a hq "Força Extrema - Tomo 2", de Fernando César, Belardino Brabo, Beto Portela, Fito Cordeiro, Alexandre Cardoso, Elinaudo Barbosa, Belardino Brabo. Traz também as hqs "Bispo e Enemus: Primeiro encontro", de Rodrigo Fernandes e Marcos Gratão; "Encontro ao acaso", de André Carim e Claudiney Diade; e "Anões: Agente Laranja e Imortal", de Luiz Iório. Pinups de Glauco Torres Grayn, May Santos, Kléber Lira e Fito Cordeiro, além de um artigo do editor completam a edição. A arte da capa é de Belardino Brabo e Alanzim Emmanuel.
Ambas as edições podem ser lidas online ou baixadas gratuitamente, e as edições anteriores também estão disponíveis.

Mais horror e decadentismo pela Nephelibata

Nunca foi tão importante o trabalho das editoras alternativas. Num momento em que a cultura é desqualificada sem piedade pelo estado, é necessário que se resista disponibilizando o conhecimento da forma mais capilar quanto possível. Com o mercado em franca retração e as grandes corporações editoriais em crise, o trabalho das pequenos editores independentes volta a ser, como já foi no passado não tão distante, aquilo que dá algum alento de que nem tudo está perdido.
Por isso é que fico feliz em anunciar que a editora Nephelibata, que já comentei aqui, está com novos títulos em seu interessantíssimo catálogo, apoiado especialmente em textos decadentistas.
Contos de um bebedor de éter é uma coletânea de contos de Jean Lorrain, pseudônimo de Paul Alexandre Martin Duval (1855-1906). O volume tem 140 páginas e traz nove contos do livro original, publicado originalmente em 1895, mais três outras histórias, sempre no ambiente sombrio e mágico do vício do éter. A tradução é do editor Camilo Prado.
Entre brumas, sobre vastos mares, de Maurice Laumann (1863-1928), reúne em 148 páginas todos os dez contos do autor, num horror que navega entre o real e o sobrenatural. A tradução é de Camilo Prado.
Desespero é uma antologia poética de ninguém menos que o mestre do horror cósmico H. P. Lovecraft (1890-1937), e inclui o longo "Psychopompos: uma história em versos". O volume tem 132 páginas com tradução e apresentação de Renato Suttana, professor da Universidade Federal da Grande Dourados.
São obras raras de tiragens reduzidas e acabamento elegante, que valem a pena conhecer. Aproveite e explore o catálogo da editora, que tem muito mais a oferecer.

terça-feira, 12 de março de 2019

Prêmio Aliens 2018

O canal Livro Voador Não Identificado, editado por Letícia de Pinho da Silva, organizou e divulgou, há poucas semanas, o resultado da edição 2018 do seu prêmio Aliens para os melhores da literatura de gênero, numa ação realizada entre leitores da plataforma digital Wattpad.
São mais de vinte categorias que, além dos modelos recorrentes da literatura de gênero – policial, terror, fantasia e distopia (também conhecida como ficção científica) –, contemplam o erótico, o dramático e a ficção em geral, embora eu não tenha entendido bem o que isso significa, uma vez que o prêmio também há uma categoria para melhor livro do ano. Há ainda categorias para antologias, ebooks, histórias em quadrinhos, contos publicados como títulos independentes e no próprio Wattpad, além de categorias para melhores autores, capas, vilões e demais protagonistas.
Com tantas categorias em um ambiente tão restrito, foi inevitável repetir o vício de prêmios similares do fandom: recorrência de títulos e o predomínio de uma editora em detrimento de um universo que é muito mais variado, o que revela a segmentação e a impermeabilidade que existe entre os segmentos do fandom e prejudica a representatividade dessas promoções.
A editora afirmou que recebeu cerca de 2000 votos e em sua fanpage apresentou uma série de belos gráficos com alguns dados da promoção. Ainda que não seja uma estatística muito transparente, é bem mais do que os similares fazem e merece congratulações pelo esforço.
A premiação foi divulgada num programa exibido em 11/02/2019, que pode ser conferido aqui.
São estes os vencedores:
Livro
1- Teu pecado, Wellington Budim, Editora Constelação
2- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
3- 2084: Mundos cyberpunks, Lidia Zuin, org., Editora Lendari
Ficção 
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- 2084: Mundos cyberpunks, Lidia Zuin, org., Editora Lendari
3- Creepy pastas: lendas da internet, Glau Kemp, org., Editora Lendari
Antologia
1- 2084: Mundos cyberpunks, Lidia Zuin, org., Editora Lendari
2- Creepy pastas: lendas da internet, Glau Kemp, org., EditoraLendari
3- Daemonum sigilum: As crônicas da Goécia, Raul Dias, org., Editora Hope
Fantasia
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
3- Guardiões de sonhos: As portas dos pesadelos, Walter Niyama, Editora Coerência
Terror
1- Creepy pastas: lendas da internet, Glau Kemp, org., Editora Lendari
2- O riso da morte, Débora de Mello, do autor
3- O mistério de Max Owen, Ariel Gomes, do autor
Distopia
1- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
2- A ponte, Carol Peace, Editora Lendari
3- O dom da lágrima, Thomas Oden, do autor
Policial
1- Teu pecado, Wellington Budim, Editora Constelação
2- Inferno no Ártico, Claudia Lemes, do autor
3- A seita, Francinaldo Lacerda, Editora Lendoas
Drama
1- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
2- Pequena ajuda, Guinho Monteiro, Editora Sinna
3- Uma ilha no Atlântico, Day Fernandes, do autor
Hot
1- Impossível te esquecer, Laurih Dias, do autor/Diário secreto, Marcos Well, do autor
2- Garoto de sorte, Jadi Sand, do autor
3- A redenção, Janice Ghsleri, do autor
Ebook
1- Noite de festa, Mario Bentes, Editora Lendari
2- Suprema, Danilo Morales, do autor
3- Promessa, Ester Baldus, Editora Anjo
Conto de edição independente
1- O dom da amizade, Diego Canuto, do autor
2- A ponte, Carol Peace, Editora Lendari
3- Sencientes, Day Fernandes, do autor
Revelação do Wattpad
1- A liberdade que limita, Stefani P. Paludo
2- Inimigos mortais, J. C. Gray
3- Canções submersas, Lia Cavaliera
Quadrinhos
1- Manual para dias cinzentos, Guilherme Infante, Editora Pulp
2- Ângulo de vista, Rafael Fritzen, Editora Lendari
3- Tirinhas do Rex, Lucas Moreira, Editora Lendari
Capa
1- Teu pecado, Wellington Budim, Editora Constelação
2- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
3- As sombras de Arkron, Diego Canuto, do autor
Autor
1- Paola Giometti
2- Stefani P. Paludo
3- Lucas Hergreaves
Autor revelação
1- Wellington Budim
2- Stefani P. Paludo
3- Carol Peace
Vilão
1- A missão, Stefani P. Paludo, Hope
2- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
3- A liga dos corações puros: A chama, Cesar Dabus, Editora Chiado
Personagem principal
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
3- Filhos do fogo: Sangue de dragão, Denis Ibañez, Editora Luva
Personagens secundários
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
3- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
Casal
1- Uma ilha no Atlântico, Day Fernandes, do autor
2- O mistério de Max Owen, Ariel Gomes, do autor
3- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
Amizade
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- A missão, Srefani P. Paludo, Editora Hope
3- Uma ilha no Atlântico, Day Fernandes, do autor
Parabéns aos vencedores e ao canal Livro Voador Não Identificado, pela iniciativa.

quarta-feira, 6 de março de 2019

Sergio Toppi (1932-2012)

Intensa. Esta é a melhor definição para a arte de Sergio Toppi, ilustrador milanês falecido no dia 21 de agosto de 2012, pouco antes de completar 80 anos.
Toppi foi um ilustrador de traço impactante, considerado em todo o mundo como um dos maiores mestres dos quadrinhos. Senhor de um estilo moderno e arrojado, que valorizava os espaços brancos, influenciou muitos artistas importantes em todo o mundo, como Bill Sienkiewicz, Walt Simonson e Frank Miller, por exemplo.
Nascido em 11 de outubro 1932, Toppi apaixonou-se pelos quadrinhos em algum momento dos anos 1940, ao ver os desenhos de Dino Battaglia e Hugo Pratt em um exemplar da revista Asso de Picche.
Estudou na Escola de Arte do Castelo, mas não terminou o curso. Antes de se envolver com a arte que lhe daria prestígio, começou fazendo ilustrações publicitárias para a Enciclopedia dei Ragazzi, para a Unione Tipografico-Editrice Torinese, para a editora Mondadori e para a revista Topolino. Também trabalhou produzindo desenhos animados publicitários para a Caroselli Televisivi.
Estreou nos quadrinhos infantis no início dos anos 1960, com a hq Il mago Zurli, publicada no Corriere dei Piccoli. Trabalhou várias vezes com o roteirista Mino Milani, para quem ilustrou a série La Vera Storia di Pietro Micca, também publicada no Corriere dei Piccoli.
Sua grande chance surgiria em 1974, quando foi contratado por Sergio Bonelli para ilustrar Herman Lehmann: L'indiano bianco. Especializou-se então no quadrinho juvenil, publicando histórias avulsas nas revistas Sgt. Kirk e Il Giornalino, entre outras, numa qualidade que lhe valeu um Prêmio Yellow Kid em 1975, recebido no 11º Festival Internacional de Quadrinhos de Lucca.
No ano seguinte, também a convite de Bonelli, começou a ilustrar uma série de três álbuns para prestigiosa coleção Un uomo, un'avventura, com ficções históricas que passariam a caracterizar sua obra.
Entre 1978 e 1980, ilustrou História da França em quadrinhos e A descoberta do mundo para a editora francesa Larousse.
Sérgio Toppi colaborou com algumas das mais importante revistas europeias de quadrinhos, com trabalhos publicados na Linus, Alter Alter, Corto Maltese, L'Eternauta, Comic Art e Ken Parker Magazine. Também são títulos importantes de sua obra os álbuns Sharaz-De* e Il Colezzionista, o único personagem criado por ele.
Mais recentemente, Toppi colaboraria novamente com os estúdios Bonelli, ilustrando histórias para as séries Nick Rider e Julia Kendall, e passaria a ser publicado regularmente na revista francesa Mosquito.
No Brasil, a obra de Toppi foi vista em uma única edição da coleção Um homem/Uma aventura: O homem do Nilo (Ebal, 1978) e na edição nº11 da revista Júlia Kendall, As aventuras de uma criminóloga  (Mythos, 2005). Algumas de suas histórias curtas também puderam ser vistas nas revistas Eureka nº11 (1978) e Eureka Aventura (1977), da Editora Vecchi; Capitão América nº15 (1976) e O Tocha Humana: Blochinho espetacular nº13 (1976), da Editora Bloch. Em 2005, ilustrou as capas das edições americanas da minissérie 1602: New Word, da Marvel Comics, publicada no Brasil no ano seguinte em um único volume na coleção Marvel Apresenta.
Em 2003, o mestre esteve em Belo Horizonte, participando do FIQ - Festival Internacional de Quadrinhos, que abrigou uma bela exposição de seus trabalhos.
Toppi faleceu em Milão, depois de uma longa luta contra o câncer que, apesar de dura, nunca o afastou da prancheta, numa carreira de quase sessenta anos. Entre suas últimas obras estão, pela Edizioni Papel, os portfólios Lo sono l'Erba (2008) e Divertissement (2009), ambos com ilustrações inspiradas na Irlanda, e Luce dell'Est (2012), sobre o Japão medieval. Intensos, como sempre.

* Dois números da série Sharaz-De foram publicados em 2016 e 2017 no Brasil pela editora Figura.

Conexão Literatura 45

Está circulando o número 45 da revista eletrônica Conexão Literatura, editada por Ademir Pascale.
A edição tem 73 páginas e destaca a publicação do novo romance do editor, O clube de leitura de Edgar Allan Poe, pela editora Selo Jovem. Traz ainda contos de Vitor Abdala, Roberto Schima e Mírian Santiago, entrevistas com os escritores José M. S. Freire e Abdul Assaf, artigo de Marcos Pereira, crônica de Nathalia Paiva, resenha de Eudes Cruz. Divulgações de filmes e livros completam a edição.
Conexão Literatura é gratuita e pode ser baixada aqui. Edições anteriores também estão disponíveis.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

O ciclo do Yig

Conforme anunciado aqui em abril de 2018, já está disponível O ciclo do Yig, coletânea de contos de H. P. Lovecraft que a editora independente Clock Tower viabilizou através de uma campanha de financiamento coletivo.
Com tradução de Daniel Iturvides Dutra, o volume tem 152 páginas e traz os textos inéditos no Brasil "A colina", "A maldição de Yig" e "Vindo dos éons" – que Lovecraft escreveu como autor-fantasma –, ilustrações exclusivas de Élson Félix, o artigo "Yig: o pai das serpentes e sua origem", assinado pelo tradutor, além de uma carta do cavalheiro de Providence à Zealia Bishop, escritora a quem foi creditada originalmente a autoria dos textos aqui publicados; somente em 1989 é que a real autoria de Lovecraft foi revelada. A edição é bem acabada, impressa em papel pólen e tem capa em cores com laminação brilhante. Uma peça de colecionador para os fãs do mestre do horror cósmico.
O livro já pode ser adquirido através do saite da editora, aqui.

Qi 154

Está circulando o número 154 do fanzine Quadrinhos Independentes-QI editado por Edgard Guimarães, dedicado ao estudo dos quadrinhos, destacando a produção independente e os fanzines brasileiros.
A edição tem 32 páginas e traz um bate papo com o youtuber Nando Moura, artigos de Lio Guerra Bocorny e E. Figueiredo, quadrinhos de Julie Albuquerque, Luiz Cláudio Lopes de Faria e do editor, que também fez a ilustração da capa. Completam a edição as colunas "Fórum" com as cartas dos leitores, "Mantendo contato" de Worney Almeida de Souza, e "Edições independentes" divulgando os lançamentos de fanzines do bimestre.
Junto desta edição, os assinantes recebem Mestres das histórias em quadrinhos 2: Edurado Teixeira Coelho, fascículo com 20 páginas com uma pesquisa de Carlos Gonçalves e Guimarães sobre esse importante quadrinhista e ilustrador português.
Com este número, o editor encerra o ciclo de assinaturas de 2018 e anuncia, no editorial, mudanças na dinâmica de circulação do fanzine impresso. Para maiores informações sobre essas mudanças, entre em contato com o editor pelo email edgard.faria.guimaraes@gmail.com. Mas ao que tudo indica, suas versões digitais continuam a ser disponibilizados pelo saite da editora Marca de Fantasia, aqui. Edições anteriores também podem ser encontradas.

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Fc&f têm clube do livro

A editora Novo Século, que há anos abriga o selo Talentos da Literatura Brasileira, acaba de lançar a Escotilha NS, clube de leitura totalmente dedicado a fc&f. Trata-se de uma proposta inédita, pois embora clubes do livro sejam uma ideia antiga, nunca houve um dedicado exclusivamente ao fantástico.
O modelo é o mesmo: o leitor faz uma assinatura e, em troca, recebe luxuosos livros exclusivos e uma série de brindes. Também receberá a revista ESC e acesso a um podcast também exclusivo. O diferencial é que a periodicidade será bimestral, ou seja, serão seis entregas por ano.
O primeiro livro deve ser enviado aos assinantes somente em abril, mas já é possível fazer um pré-cadastro e garantir um desconto na primeira caixa. O título a ser entregue ainda é um mistério, mas a editora deu várias pistas: o livro foi publicado pela primeira vez no início do século 20 e, hoje, não tem edição no Brasil; trata-se de um autor consagrado que criou personagens icônicos da literatura universal e o Brasil aparece em uma das histórias do livro.
A editora criou uma série de canais de comunicação com os leitores e promete considerar as sugestões deles para futuros lançamentos.
Mais informações podem ser obtidas no saite do clube, aqui.

Juvenatrix 199

Está circulando a edição de fevereiro do fanzine eletrônico de horror e ficção científica Juvenatrix editado por Renato Rosatti, que traz em 14 páginas um conto de Allan Fear, resenha ao filme de David Cronenberg Calafrios (Shivers, 1975), além de divulgação e curiosidades sobre fanzines, livros, filmes e bandas independentes de rock extremo. A capa traz uma ilustração de Mário Labate.
Será que o editor vai inventar alguma coisa especial para a edição 200? É, sem dúvida, um marco a ser comemorado, nenhum outro fanzine brasileiro chegou tão longe. Vamos aguardar.
Para solicitar uma cópia em formato pdf, basta enviar email para renatorosatti@yahoo.com.br.

Balada dos rockeiros mortos e anjos caídos

No próximo sábado, dia 23/02, a escritora Márcia Kupstas lança seu novo livro Balada dos rockeiros mortos e anjos caídos, publicado pela editora portuguesa Chiado. O livro está disponível desde novembro de 2018 no saite da editora aqui, mas só agora chega oficialmente ao Brasil.
Kupstas foi bastante ativa no ambiente da fc&f nacional nos anos 1990, quando organizou a série de antologias temáticas da coleção Sete Faces, publicou o romance de ficção científica O demônio do computador – ambos pela da Editora Moderna – e participou de algumas antologias organizadas no fandom.
Diz o texto de divulgação: “O Anjo pode ser considerado uma metáfora do destino, a nossa posição entre o determinismo ou o livre-arbítrio; ouvimos 'a voz do Anjo' e a aceitamos ou nos rebelamos e saímos atrás de outras coisas. O que uma adolescente, Lisboa, mundos paralelos, família disfuncional, venda de drogas, Arte e um anjo têm em comum?"
O lançamento acontece a partir das 16h30 na Livraria Martins Fontes (Av. Paulista, 509, São Paulo) e contará com uma exposição de fotos e bate-papo com a autora.

Gene Shaft

Miguel Carqueija disponibilizou mais um guia de episódios de animes, desta vez sobre o seriado Gene Shaft, produzido em 2001 pelo Estúdio Bandai Visual.
Trata-se de uma space opera passada no século 23, quando a humanidade domina o sistema solar e as pessoas são produzidas artificialmente. Diz o texto de apresentação: "A série acompanha as aventuras da nave espacial Bilkis que investiga o aparecimento de imensos anéis espaciais, poderosos e agressivos que têm relação com a raça extinta dos gigantes cujas ruínas foram achadas em Ganimedes, satélite de Júpiter, e o misterioso sistema Óberas, por eles deixado."
O guia faz resenhas críticas de cada um dos treze episódios do seriado – que os interessados podem assistir pela internet, embora o autor não diga exatamente como: descobri-lo fica por conta de cada um.
O volume, em forma de arquivo de texto, está disponível para download gratuito aqui.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Mestre das marés

Neste sábado, dia 2 de fevereiro, a partir das 16 horas, o escritor Roberto de Sousa Causo e a Devir Livraria estarão recebendo leitores e amigos na Omniverse Livraria e Hobby Store para o lançamento oficial do livro O mestre das marés, romance de ficção científica no mesmo universo de Glória sombria, livro anterior do mesmo autor. À venda desde outubro de 2018,  este novo romance leva o protagonista Jonas Peregrino em uma missão de guerra num planeta distante contra uma raça alienígena poderosa que detém tecnologias desconhecidas pelo homem e podem desequilibrar o conflito ao seu favor.
Além de Causo, também estará presente ao evento o ilustrador Vagner Vargas, que assina a capa do volume e autografará o poster exclusivo com sua arte que será ofertado a todos os compradores do livro.
A Omniverse fica na rua Teodureto Souto, 624/630, Cambuci, em São Paulo.
Mais informações sobre o trabalho do autor podem ser obtidas no saite Galaxis. O livro também pode ser adquirido pela internet, aqui.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Conexão Literatura 44

Está circulando o número 44 da revista eletrônica Conexão Literatura, editada por Ademir Pascale.
A edição tem 50 páginas e traz contos de Roberto Schima e Mírian Santiago, entrevistas com Alexandre Mascarenhas (À sombra do barco) e Wellington Budim (Teu pecado). Resenhas, artigos e divulgações de filmes e livros completam a edição.
Conexão Literatura é gratuita e pode ser baixada aqui. Edições anteriores também estão disponíveis.