terça-feira, 12 de março de 2019

Prêmio Aliens 2018

O canal Livro Voador Não Identificado, editado por Letícia de Pinho da Silva, organizou e divulgou, há poucas semanas, o resultado da edição 2018 do seu prêmio Aliens para os melhores da literatura de gênero, numa ação realizada entre leitores da plataforma digital Wattpad.
São mais de vinte categorias que, além dos modelos recorrentes da literatura de gênero – policial, terror, fantasia e distopia (também conhecida como ficção científica) –, contemplam o erótico, o dramático e a ficção em geral, embora eu não tenha entendido bem o que isso significa, uma vez que o prêmio também há uma categoria para melhor livro do ano. Há ainda categorias para antologias, ebooks, histórias em quadrinhos, contos publicados como títulos independentes e no próprio Wattpad, além de categorias para melhores autores, capas, vilões e demais protagonistas.
Com tantas categorias em um ambiente tão restrito, foi inevitável repetir o vício de prêmios similares do fandom: recorrência de títulos e o predomínio de uma editora em detrimento de um universo que é muito mais variado, o que revela a segmentação e a impermeabilidade que existe entre os segmentos do fandom e prejudica a representatividade dessas promoções.
A editora afirmou que recebeu cerca de 2000 votos e em sua fanpage apresentou uma série de belos gráficos com alguns dados da promoção. Ainda que não seja uma estatística muito transparente, é bem mais do que os similares fazem e merece congratulações pelo esforço.
A premiação foi divulgada num programa exibido em 11/02/2019, que pode ser conferido aqui.
São estes os vencedores:
Livro
1- Teu pecado, Wellington Budim, Editora Constelação
2- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
3- 2084: Mundos cyberpunks, Lidia Zuin, org., Editora Lendari
Ficção 
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- 2084: Mundos cyberpunks, Lidia Zuin, org., Editora Lendari
3- Creepy pastas: lendas da internet, Glau Kemp, org., Editora Lendari
Antologia
1- 2084: Mundos cyberpunks, Lidia Zuin, org., Editora Lendari
2- Creepy pastas: lendas da internet, Glau Kemp, org., EditoraLendari
3- Daemonum sigilum: As crônicas da Goécia, Raul Dias, org., Editora Hope
Fantasia
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
3- Guardiões de sonhos: As portas dos pesadelos, Walter Niyama, Editora Coerência
Terror
1- Creepy pastas: lendas da internet, Glau Kemp, org., Editora Lendari
2- O riso da morte, Débora de Mello, do autor
3- O mistério de Max Owen, Ariel Gomes, do autor
Distopia
1- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
2- A ponte, Carol Peace, Editora Lendari
3- O dom da lágrima, Thomas Oden, do autor
Policial
1- Teu pecado, Wellington Budim, Editora Constelação
2- Inferno no Ártico, Claudia Lemes, do autor
3- A seita, Francinaldo Lacerda, Editora Lendoas
Drama
1- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
2- Pequena ajuda, Guinho Monteiro, Editora Sinna
3- Uma ilha no Atlântico, Day Fernandes, do autor
Hot
1- Impossível te esquecer, Laurih Dias, do autor/Diário secreto, Marcos Well, do autor
2- Garoto de sorte, Jadi Sand, do autor
3- A redenção, Janice Ghsleri, do autor
Ebook
1- Noite de festa, Mario Bentes, Editora Lendari
2- Suprema, Danilo Morales, do autor
3- Promessa, Ester Baldus, Editora Anjo
Conto de edição independente
1- O dom da amizade, Diego Canuto, do autor
2- A ponte, Carol Peace, Editora Lendari
3- Sencientes, Day Fernandes, do autor
Revelação do Wattpad
1- A liberdade que limita, Stefani P. Paludo
2- Inimigos mortais, J. C. Gray
3- Canções submersas, Lia Cavaliera
Quadrinhos
1- Manual para dias cinzentos, Guilherme Infante, Editora Pulp
2- Ângulo de vista, Rafael Fritzen, Editora Lendari
3- Tirinhas do Rex, Lucas Moreira, Editora Lendari
Capa
1- Teu pecado, Wellington Budim, Editora Constelação
2- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
3- As sombras de Arkron, Diego Canuto, do autor
Autor
1- Paola Giometti
2- Stefani P. Paludo
3- Lucas Hergreaves
Autor revelação
1- Wellington Budim
2- Stefani P. Paludo
3- Carol Peace
Vilão
1- A missão, Stefani P. Paludo, Hope
2- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
3- A liga dos corações puros: A chama, Cesar Dabus, Editora Chiado
Personagem principal
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
3- Filhos do fogo: Sangue de dragão, Denis Ibañez, Editora Luva
Personagens secundários
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- A missão, Stefani P. Paludo, Editora Hope
3- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
Casal
1- Uma ilha no Atlântico, Day Fernandes, do autor
2- O mistério de Max Owen, Ariel Gomes, do autor
3- Declínio do reino, Lucas Hargreaves, Editora Sinna
Amizade
1- Drako e a elite dos dragões dourados, Paola Giometti, Editora Lendari
2- A missão, Srefani P. Paludo, Editora Hope
3- Uma ilha no Atlântico, Day Fernandes, do autor
Parabéns aos vencedores e ao canal Livro Voador Não Identificado, pela iniciativa.

quarta-feira, 6 de março de 2019

Sergio Toppi (1932-2012)

Intensa. Esta é a melhor definição para a arte de Sergio Toppi, ilustrador milanês falecido no dia 21 de agosto de 2012, pouco antes de completar 80 anos.
Toppi foi um ilustrador de traço impactante, considerado em todo o mundo como um dos maiores mestres dos quadrinhos. Senhor de um estilo moderno e arrojado, que valorizava os espaços brancos, influenciou muitos artistas importantes em todo o mundo, como Bill Sienkiewicz, Walt Simonson e Frank Miller, por exemplo.
Nascido em 11 de outubro 1932, Toppi apaixonou-se pelos quadrinhos em algum momento dos anos 1940, ao ver os desenhos de Dino Battaglia e Hugo Pratt em um exemplar da revista Asso de Picche.
Estudou na Escola de Arte do Castelo, mas não terminou o curso. Antes de se envolver com a arte que lhe daria prestígio, começou fazendo ilustrações publicitárias para a Enciclopedia dei Ragazzi, para a Unione Tipografico-Editrice Torinese, para a editora Mondadori e para a revista Topolino. Também trabalhou produzindo desenhos animados publicitários para a Caroselli Televisivi.
Estreou nos quadrinhos infantis no início dos anos 1960, com a hq Il mago Zurli, publicada no Corriere dei Piccoli. Trabalhou várias vezes com o roteirista Mino Milani, para quem ilustrou a série La Vera Storia di Pietro Micca, também publicada no Corriere dei Piccoli.
Sua grande chance surgiria em 1974, quando foi contratado por Sergio Bonelli para ilustrar Herman Lehmann: L'indiano bianco. Especializou-se então no quadrinho juvenil, publicando histórias avulsas nas revistas Sgt. Kirk e Il Giornalino, entre outras, numa qualidade que lhe valeu um Prêmio Yellow Kid em 1975, recebido no 11º Festival Internacional de Quadrinhos de Lucca.
No ano seguinte, também a convite de Bonelli, começou a ilustrar uma série de três álbuns para prestigiosa coleção Un uomo, un'avventura, com ficções históricas que passariam a caracterizar sua obra.
Entre 1978 e 1980, ilustrou História da França em quadrinhos e A descoberta do mundo para a editora francesa Larousse.
Sérgio Toppi colaborou com algumas das mais importante revistas europeias de quadrinhos, com trabalhos publicados na Linus, Alter Alter, Corto Maltese, L'Eternauta, Comic Art e Ken Parker Magazine. Também são títulos importantes de sua obra os álbuns Sharaz-De* e Il Colezzionista, o único personagem criado por ele.
Mais recentemente, Toppi colaboraria novamente com os estúdios Bonelli, ilustrando histórias para as séries Nick Rider e Julia Kendall, e passaria a ser publicado regularmente na revista francesa Mosquito.
No Brasil, a obra de Toppi foi vista em uma única edição da coleção Um homem/Uma aventura: O homem do Nilo (Ebal, 1978) e na edição nº11 da revista Júlia Kendall, As aventuras de uma criminóloga  (Mythos, 2005). Algumas de suas histórias curtas também puderam ser vistas nas revistas Eureka nº11 (1978) e Eureka Aventura (1977), da Editora Vecchi; Capitão América nº15 (1976) e O Tocha Humana: Blochinho espetacular nº13 (1976), da Editora Bloch. Em 2005, ilustrou as capas das edições americanas da minissérie 1602: New Word, da Marvel Comics, publicada no Brasil no ano seguinte em um único volume na coleção Marvel Apresenta.
Em 2003, o mestre esteve em Belo Horizonte, participando do FIQ - Festival Internacional de Quadrinhos, que abrigou uma bela exposição de seus trabalhos.
Toppi faleceu em Milão, depois de uma longa luta contra o câncer que, apesar de dura, nunca o afastou da prancheta, numa carreira de quase sessenta anos. Entre suas últimas obras estão, pela Edizioni Papel, os portfólios Lo sono l'Erba (2008) e Divertissement (2009), ambos com ilustrações inspiradas na Irlanda, e Luce dell'Est (2012), sobre o Japão medieval. Intensos, como sempre.

* Dois números da série Sharaz-De foram publicados em 2016 e 2017 no Brasil pela editora Figura.

Conexão Literatura 45

Está circulando o número 45 da revista eletrônica Conexão Literatura, editada por Ademir Pascale.
A edição tem 73 páginas e destaca a publicação do novo romance do editor, O clube de leitura de Edgar Allan Poe, pela editora Selo Jovem. Traz ainda contos de Vitor Abdala, Roberto Schima e Mírian Santiago, entrevistas com os escritores José M. S. Freire e Abdul Assaf, artigo de Marcos Pereira, crônica de Nathalia Paiva, resenha de Eudes Cruz. Divulgações de filmes e livros completam a edição.
Conexão Literatura é gratuita e pode ser baixada aqui. Edições anteriores também estão disponíveis.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

O ciclo do Yig

Conforme anunciado aqui em abril de 2018, já está disponível O ciclo do Yig, coletânea de contos de H. P. Lovecraft que a editora independente Clock Tower viabilizou através de uma campanha de financiamento coletivo.
Com tradução de Daniel Iturvides Dutra, o volume tem 152 páginas e traz os textos inéditos no Brasil "A colina", "A maldição de Yig" e "Vindo dos éons" – que Lovecraft escreveu como autor-fantasma –, ilustrações exclusivas de Élson Félix, o artigo "Yig: o pai das serpentes e sua origem", assinado pelo tradutor, além de uma carta do cavalheiro de Providence à Zealia Bishop, escritora a quem foi creditada originalmente a autoria dos textos aqui publicados; somente em 1989 é que a real autoria de Lovecraft foi revelada. A edição é bem acabada, impressa em papel pólen e tem capa em cores com laminação brilhante. Uma peça de colecionador para os fãs do mestre do horror cósmico.
O livro já pode ser adquirido através do saite da editora, aqui.

Qi 154

Está circulando o número 154 do fanzine Quadrinhos Independentes-QI editado por Edgard Guimarães, dedicado ao estudo dos quadrinhos, destacando a produção independente e os fanzines brasileiros.
A edição tem 32 páginas e traz um bate papo com o youtuber Nando Moura, artigos de Lio Guerra Bocorny e E. Figueiredo, quadrinhos de Julie Albuquerque, Luiz Cláudio Lopes de Faria e do editor, que também fez a ilustração da capa. Completam a edição as colunas "Fórum" com as cartas dos leitores, "Mantendo contato" de Worney Almeida de Souza, e "Edições independentes" divulgando os lançamentos de fanzines do bimestre.
Junto desta edição, os assinantes recebem Mestres das histórias em quadrinhos 2: Edurado Teixeira Coelho, fascículo com 20 páginas com uma pesquisa de Carlos Gonçalves e Guimarães sobre esse importante quadrinhista e ilustrador português.
Com este número, o editor encerra o ciclo de assinaturas de 2018 e anuncia, no editorial, mudanças na dinâmica de circulação do fanzine impresso. Para maiores informações sobre essas mudanças, entre em contato com o editor pelo email edgard.faria.guimaraes@gmail.com. Mas ao que tudo indica, suas versões digitais continuam a ser disponibilizados pelo saite da editora Marca de Fantasia, aqui. Edições anteriores também podem ser encontradas.

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Fc&f têm clube do livro

A editora Novo Século, que há anos abriga o selo Talentos da Literatura Brasileira, acaba de lançar a Escotilha NS, clube de leitura totalmente dedicado a fc&f. Trata-se de uma proposta inédita, pois embora clubes do livro sejam uma ideia antiga, nunca houve um dedicado exclusivamente ao fantástico.
O modelo é o mesmo: o leitor faz uma assinatura e, em troca, recebe luxuosos livros exclusivos e uma série de brindes. Também receberá a revista ESC e acesso a um podcast também exclusivo. O diferencial é que a periodicidade será bimestral, ou seja, serão seis entregas por ano.
O primeiro livro deve ser enviado aos assinantes somente em abril, mas já é possível fazer um pré-cadastro e garantir um desconto na primeira caixa. O título a ser entregue ainda é um mistério, mas a editora deu várias pistas: o livro foi publicado pela primeira vez no início do século 20 e, hoje, não tem edição no Brasil; trata-se de um autor consagrado que criou personagens icônicos da literatura universal e o Brasil aparece em uma das histórias do livro.
A editora criou uma série de canais de comunicação com os leitores e promete considerar as sugestões deles para futuros lançamentos.
Mais informações podem ser obtidas no saite do clube, aqui.

Juvenatrix 199

Está circulando a edição de fevereiro do fanzine eletrônico de horror e ficção científica Juvenatrix editado por Renato Rosatti, que traz em 14 páginas um conto de Allan Fear, resenha ao filme de David Cronenberg Calafrios (Shivers, 1975), além de divulgação e curiosidades sobre fanzines, livros, filmes e bandas independentes de rock extremo. A capa traz uma ilustração de Mário Labate.
Será que o editor vai inventar alguma coisa especial para a edição 200? É, sem dúvida, um marco a ser comemorado, nenhum outro fanzine brasileiro chegou tão longe. Vamos aguardar.
Para solicitar uma cópia em formato pdf, basta enviar email para renatorosatti@yahoo.com.br.